Glutamina: funções e suplementação


Glutamina é o aminoácido mais abundante no tecido muscular, além de atuar como nutriente energético para as células imunológicas, a glutamina apresenta uma importante função anabólica promovendo o crescimento muscular. Este efeito está associado à sua capacidade de captar água para o meio intracelular, o que estimula a síntese protéica, como a creatina. E também aumenta a recuperação muscular prevenindo o overtraining.
! Anabolismo: é a parte do metabolismo onde ocorre a síntese de substâncias, no caso muscular é o ganho.
    Catabolismo: é a parte do metabolismo onde ocorre degradação, ou seja, a quebra de substâncias, no caso muscular é a perda.

É importante destacar que a glutamina é um aminoácido considerado condicionalmente essencial, já que é produzida primariamente no músculo, e também nos pulmões, fígado, cérebro e possivelmente no tecido adiposo. Sua produção e liberação estão associadas a fatores fisiológicos (exercícios) e estressores (cirurgia, trauma). Nestes casos sua demanda é aumentada e nem sempre o organismo consegue suprir.
O fígado é o único órgão que tanto consome quanto produz, enquanto que os rins, células do sistema imune e o trato gastrointestinal só consomem.
A glutamina também estimula a síntese de glicogênio (que quando armazenado traz consigo água para o intracelular), aumentando conseqüentemente a disponibilidade de energia para os processos anabólicos.
Durante o treinamento intenso e/ou prolongado, os níveis de glutamina plasmática reduzem drasticamente, e podem ficar até 50% menores, aumentando a susceptibilidade a lesões e processos inflamatórios, um pesadelo para quem tem por objetivo ganho muscular. Além disso, com esse decréscimo na glutamina plasmática, a suscetibilidade a infecções do trato respiratório é muito maior, principalmente em atletas com overtraining, pois o sistema imunológico é altamente dependente desse aminoácido. É nesse momento que entra a suplementação.
A suplementação com glutamina tem sido utilizada para reduzir o intenso catabolismo muscular. Que ocorre quando níveis elevados de glutamina deixam o músculo, desidratando as células. A suplementação poupa o tecido muscular que seria catabolizado para prover glutamina para outras células do corpo, permitindo assim que o tecido muscular use glutamina para sintetizar tecido muscular novo, resultando em maior hipertrofia. A glutamina também estimula a síntese de hormônio do crescimento, além de reduzir a ação catabólica do hormônio cortisol. Em períodos de restrição calórica, a suplementação com esse aminoácido é muito interessante, porque pode auxiliar na manutenção da massa magra.
Funções importantes da glutamina no corpo humano:
Ø  Manutenção do sistema imunológico;
Ø  Equilíbrio do balanço ácido/básico durante o estado de acidose;
Ø  Reguladora da síntese e degradação de proteínas;
Ø  Controle do volume celular;
Ø  Desintoxicação corporal do nitrogênio e da amônia;
Ø  Controle entre o catabolismo e o anabolismo;
Ø  Combate a síndrome de overtraining;
Ø  Precursor de nitrogênio para a síntese de nucleotídeos.
Recomenda-se que uma dosagem efetiva de glutamina deve ficar em torno de 10 gramas ao dia, administrada preferencialmente, logo após um treino intenso, com solução de glicose para otimizar a absorção. Uma dosagem inferior demonstra ser menos efetiva, tendo em vista que cerca de 50 - 85 % da dosagem não alcançarão o músculo, sendo utilizada pelas células intestinais como fonte energética. Uma boa estratégia é enriquecer a última refeição do dia com esse aminoácido.

Comentários

  1. Olá, meninas
    Sempre interessates os posts, tenho aprendido muito com vcs.
    Vcs deveria ir dar aulas, cursos né?
    beijo
    cris

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Parkinson- Dia Mundial

Troque o Refrigerante por um Suco Natural

Romã e seus (muitos) benefícios