Comendo Bem Durante a Viagem das Férias


No post de hoje listamos algumas dicas para você que vai viajar nas férias e não sabe como controlar a alimentação, já que longe de casa é muito mais difícil. Saiba fazer as melhores escolhas, sem passar fome e se alimentando adequadamente.


ü  No café da manhã prefira queijos brancos, frutas, peito de peru, salada de frutas, tapioca, iogurte, suco e café. Consuma em pouca quantidade pão de queijo, bolo, salgados, biscoitos e doces em geral. Cuidado com o ovo risco de conter salmonela.


ü  Tenha sempre com você: barras de cereais ou biscoito cream craker integral ou  cookies integrais ou barra de granola crocante para ingeri-los durante os lanches, assim você comerá menos no almoço e no jantar e evitará a perda de massa muscular e a diminuição do metabolismo.


ü  Prefira restaurantes self-service para controle da refeição.


ü  Cuidado com os molhos gordurosos. Se tiver duas opções de prato, escolha sempre aquele com menos gordura no molho, por exemplo, molho de tomate, de champignon ou de vegetais.


ü  Evite alimentos fritos. Ricos em gordura saturada, que eleva o colesterol ruim LDL e podem causar azia e diarréia.


ü  Cuidado com o local das refeições e lanches. Pergunte de onde vem a água que eles preparam e lavam os alimentos; observe a higiene da cozinha e como os alimentos são oferecidos (ficam em banho-maria / são servidos imediatamente depois de prontos). Se não tiver como ver a cozinha, observe o banheiro do restaurante, assim você terá uma noção da higiene da cozinha.


ü  Evite comer frutos do mar, peixes e salgados vendidos na praia. Muitas vezes a temperatura de armazenamento desses alimentos é inadequada, o que favorece o crescimento da bactéria.


ü  Tomar líquido constantemente. Preferir sucos e água (ver a qualidade da água do suco).


ü  Substitua os doces muito calóricos (sorvetes, biscoitos recheados, chocolates, etc) por uvas passas, frutas, gelatina e picolé de frutas com poucas calorias.


ü  Cuidado com a quantidade de cerveja e refrigerantes, podendo elevar os níveis triglicérides, além de favorecer o crescimento da gordura localizada.


No navio


Os bufês são os maiores pecados dessas viagens. A disponibilidade de alimentos cheios de açúcar e gordura à vontade, 24 horas por dia, são irresistíveis para grande parte da população, o que se torna um perigo à balança. O segredo para isso é olhar todas as opções servidas antes de colocar qualquer item no prato.


 O que comer

Durante o dia, busque sucos de frutas variadas, frutas e saladas, que, além de pouco calóricos, contribuem para a hidratação. Na piscina, peça petiscos assados. Quer uma caipirinha? Troque o açúcar por adoçante. Nos bufês, comece com um prato de salada, temperada com azeite extravirgem, ervas (alecrim, manjericão etc.), vinagre balsâmico e limão. Depois, siga a recomendação clássica: um carboidrato, como arroz, macarrão, batata ou um tipo de grão, e uma fonte de proteína, de preferência assada, grelhada ou cozida.

Evite preparações cruas ou molhos à base de maionese, pois a conservação muitas vezes é deficiente e você pode ficar com más lembranças do cruzeiro.  Finalize com um picolé ou uma fruta. Bateu o desejo por algum prato menos light? Como a tentação é grande, escolha uma guloseima por dia, isto é, uma sobremesa mais especial ou um prato mais elaborado, por exemplo, mas faça corretamente o resto das refeições, sem exageros. Alimentos leves e ricos em vitamina B6, como germe de trigo e soja, ajudam a evitar enjoos.


Evite

Molhos e condimentos em excesso, que são calóricos, retardam a digestão e dão aquela moleza, fazendo você dormir na cabine e perder parte do passeio. No café da manhã, troque os ovos mexidos pelos ovos pochê. Além de charmosos e diferentes, são mais saudáveis.


No avião

Comida de avião não costuma ser gostosa. E, pior do que isso, também pode colocar seu peso em risco. Normalmente os lanches são gordurosos e calóricos. Se seu trajeto for curto, a dica é comer em casa para não entrar na aeronave desesperada de fome. Mas, se o percurso for longo, prepare-se para aceitar somente alguns itens.


O que comer

Além de dar preferência a alimentos com poucas calorias, coma os ricos em potássio, que ajudam a evitar a retenção hídrica (o famoso inchaço), em fibras solúveis, que ajudam na saciedade, e as fontes de carboidratos, fornecedores de energia. Na ponte aérea, fique nos sucos de frutas. Em voos um pouco mais longos, dá para se virar com barrinha de cereal e biscoito de água e sal. Nos internacionais, invista em alimentos de fácil digestão, já que a pressurização da cabine dificulta esse processo. Exemplos: pratos que combinem proteína (de preferência frango) com legumes. Coincidentemente, são também os mais light. De sobremesa, frutas. Entre as bebidas, sucos e água sem gás são boas pedidas.

 Evite

Tanto para o bem-estar no voo quanto para não aumentar o ponteiro da balança, evite os alimentos ricos em gordura, sal e açúcar. As massas, por exemplo, costumam vir cheias de molhos cremosos (calóricos e pesados). O pão com manteiga também merece ser dispensado. Além de acrescentar calorias sem nutrir, pode trazer aquela sensação chata de gases e desconforto abdominal.  Sobremesas à base de leite (iogurte, flan ou pudim) também pioram a digestão. Vale saber: um saquinho de 50 g de amendoim tem 250 calorias; três unidades de biscoito recheado, 150 calorias! E passe longe do álcool, que pode aumentar sua desidratação, e de refrigerantes, que provocam gases.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Parkinson- Dia Mundial

Troque o Refrigerante por um Suco Natural

Romã e seus (muitos) benefícios